Apresentação

Enquadramento | O projecto reVer | Objectivos

Enquadramento

Nos últimos anos, os conceitos de eficiência energética e sustentabilidade tornaram-se temas centrais no debate da arquitetura e construção. O sector da construção, um dos maiores e mais ativos sectores da economia mundial, é ao nível do impacte ambiental responsável por cerca de um terço das emissões de carbono, consumindo mais matérias-primas que qualquer outra atividade económica. Para mitigar este impacte e para alcançar uma construção mais eficiente é premente desenvolver formas de construir mais sustentáveis. Nesse sentido, a arquitetura vernácula é um tipo de construção que importa analisar, já que as estratégias que são agora a base da construção sustentável derivam de aspetos e características deste tipo de arquitetura.

Na longa evolução das construções vernáculas foram desenvolvidas estratégias pragmáticas que procuravam responder a um conjunto de condicionalismos — climáticos, litológicos, económicos, etc. — do meio envolvente, o que se reflectiu regionalmente em modos ímpares de construir. Após um período de abandono, despoletado pela industrialização que veio homogeneizar os modos de construir, a arquitetura vernácula volta a despertar interesse por apresentar uma relação equilibrada entre o que se define actualmente como os três pilares da sustentabilidade. Neste tema é consensual a necessidade de procurar nestas construções do passado as lições que suportem o desenvolvimento sustentável, em que a utilização das técnicas vernáculas e materiais locais na concepção de edifícios, desenvolvidos na necessidade de adaptação a um território e clima específicos, contribuirá para a redução do desperdício, dos consumos energéticos e consequentemente das emissões de carbono, entre outros impactes ambientais, Adicionalmente, a promoção do conhecimento e das tecnologias vernáculas poderá ter um impacte positivo no desenvolvimento socioeconómico local.

As metas ambiciosas e a exigência crescente na quantificação do desempenho dos edifícios, tornam necessário compreender em que ordem de grandeza é que as estratégias vernáculas são eficazes e viáveis. A arquitetura vernácula portuguesa, pela multiplicidade de manifestações e de estratégias de adaptação, encerra em si um potencial de conhecimento que importa continuar a investigar na perspetiva da construção sustentável. Neste âmbito, os estudos realizados têm incidido principalmente em análises qualitativas, pelo que há a necessidade de os complementar com análises quantitativas, por forma a encontrar justificação científica que valide ou refute o potencial de adaptação destas estratégias à contemporaneidade.

O projeto reVer

O reVer – Modelação do desempenho de ciclo de vida de edifícios vernáculos portugueses: contributos para a sustentabilidade do edificado, é um projeto exploratório de investigação científica, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (EXPL/ECM-COM/1801/2013), que se encontra em desenvolvimento na Universidade do Minho, no Centro Território, Ambiente e Construção (C-TAC).

O reVer tem como objetivo principal o estudo dos princípios de sustentabilidade presentes na arquitectura vernácula portuguesa e a exploração de novas formas de integrar esse conhecimento na construção contemporânea. Este projeto pretende contribuir para o desenvolvimento do conhecimento através do estudo sistematizado e quantitativo do desempenho de edifícios vernáculos em Portugal. Neste sentido, visa criar uma base de conhecimento sobre as várias técnicas de construção vernáculas em Portugal, onde se inclui o contributo das mesmas para a melhoria do desempenho de ciclo de vida do edificado ao nível das três dimensões do desenvolvimento sustentável: ambiente. sociedade e economia.

Objectivos

No desenvolvimento deste projecto procurar-se-á definir se as técnicas e materiais vernáculos e as estratégias passivas comummente utilizadas nestas construções possuem potencial de adaptação ao contexto atual da construção, sempre encarada numa perspetiva regional, com vista a melhorar o seu desempenho ao nível das três dimensões da sustentabilidade.

A investigação incide sobre um conjunto de casos de estudos, de feições distintas e localizados em diferentes zonas climáticas de Portugal, sobre os quais se procura qualitativa e quantitativamente: i) caracterizar os materiais e técnicas de construção usados na arquitectura vernácula; ii) avaliar o desempenho ambiental de materiais e técnicas de construção vernáculas; iii) avaliar o desempenho passivo de construções vernáculas na resposta a climas específicos, e as suas condições de conforto ao longo das várias estações do ano; iv) avaliar a viabilidade das técnicas construtivas e materiais vernáculos no contexto atual da construção; v) desenvolver e calibrar ferramentas informáticas de simulação sob condições dinâmicas.

Pretende-se assim, reduzir o hiato de informação técnica sobre o desempenho da arquitetura vernácula portuguesa e das suas técnicas de construção, auxiliando os profissionais da construção que intervêm tanto na reabilitação e regeneração do património vernáculo como na concepção de novos edifícios que usem técnicas vernáculas de construção. Adicionalmente, ao nível da dimensão socioeconómica, a validação científica das tecnologias vernáculas poderá promover a sua aplicação nos contextos adequados e contribuir para proteção e valorização do património vernáculo. Numa visão abragente, poderá contribuir para o desenvolvimento das economias locais e para a redistribuição da riqueza, nomeadamente pela criação de emprego nas diversas áreas afins.

voltar ao início |